Postagens

Gênesis 46.28-30: O Reencontro

Imagem
"Jacó mandou que Judá fosse na frente para pedir a José que viesse encontrá-los em Gosém. Quando eles chegaram, José mandou aprontar o seu carro e foi paara Gosém a fim de se encontrar com o pai. Quando se encontraram, José o abraçou e chorou abraçado com ele por muito tempo. Então Jacó disse: 'Já posso morrar, agora que já vi você e sei que está vivo!'. " Gênesis 46.28-30
Gosém apareceu na visão de José enquanto ele estava de pé na carruagem que preparara para ver seu pai. Era um dia ensolarado no Egito, com o sol no alto do céu sem nuvens e uma brisa quente passeando pelos lares da região.
José vestia suas roupas egípcias de linho branco, seu cabelo curto sentia o vento forte na cabeça e na mesma ele só ouvia o suspiro do seu Deus.
- Finalmente Pai. - ele sussurou - Jacó... como sinto falta dele.

Mil imagens brotaram na mente do governador do Egito enquanto o cavalo corria para Gosém, a terra em que seu pai se encontrava.

A primeira lembrança era de quando José era…

Gênesis 3: O Começo

Imagem
"A mulher viu que aárvore era bonita e que as suas frutas eram boas de se comer. E ela pensou como seria bom ter entendimento. Aí apanhou uma fruta e comeu; e deu ao seu marido, e ele também comeu. Nesse momento os olhos dos dois se abriram, e ees perceberam que estavam nus. Então costuraram umas folhas de figueira para usar como tangas." Gênesis 3. 6,7


Doce. Foi a primeira coisa que ela sentiu quando mordeu o fruto, era doce e suculento... Em primeiro momento não entendeu porque seu Pai não lhe deixara comer aquele fruto antes, mas agora estava tudo bem porque ele já estava na sua boca doce como mel.
Alguns flashs começaram a rodar a cabeça de Eva enquanto mastigava o fruto de olhos fechados e agachada no meio das moitas ali perto da grande árvore que ficava bem no meio do Jardim. Aquela árvore era grande e com raízes profundas que sugavam os nutrientes da terra fértil.
O primeiro flash foi a visão da cobra, aquela grande serpente que havia se mostrado na árvore tinha olhos …

Faz chover

Imagem
"Falta muito pouco para você mergulhar nas trevas para sempre." Elben Lenz César  A chuva havia cessado, alguns poucos pingos ainda manchavam o vidro da janela do quarto da garota de trança no cabelo longo. O céu ainda estava escuro como se as nuvens tivessem medo de sumirem de repente, era óbiva a alegria das árvores em ver o água fresca vinda do céu para lhes alimentar e também era evidente a escuridão do mundo daquela jovem que observava as nuvens pararem de chorar.
O quarto era amplo e retangular, com uma cama no canto esquerdo bem embaixo da janela, o guarda roupa branco ficava na direção oposta e uma pequena estante de livros ficava na fernte da cama como se convidasse a garota a largar a observação para começar a ler e se encantar com algum mundo submerso pelas páginas amareladas. Ela, a garota, era jovem, tinha 17 anos e usava uma camiseta larga com uma calça legging que usava para dormir, estava com uma trança nos cabelos claros e com alguns pingos de pomada no rosto…

Mateus 14.22-36

Imagem
 " Alta madrugada, Jesus dirigiu-se a eles, andando sobre o mar. Mas Jesus imediatamente lhes disse: “Coragem! Sou eu. Não tenham medo!”. " Mateus 14. 25,27

A noite cobria o céu como um manto acima dos olhos de alguma criança adormecida, havia somente algumas pequenas estrelas remotas uma das outras e a Lua. Ela, a dama da noite, crescia um pouco a cada noite e era a única presente quando o deque rangeu com o peso desconhecido.
O deque da praia se estendia forte até uns 500 metros da praia, onde era possível colocar os pés na água ou pular sem perigo; era de madeira clara mas naquela noite parecia banhado pelo negro do céu. Ele rangia devagar enquanto um par de pés finos e femininos andava por ele, as mãos palidas de uma jovem garota passeava levemente entre as barras de madeira grossas que evitava que crianças caíssem na água sem querer. O vento chicoteou seus cabelos castanhos e sedosos com gentileza e ela suspirou deixando todo o ar sair devagar da sua boca.. Era mediana, com…

Mateus 11.28

Imagem
"Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei."
Ela se jogou na cama após o banho quente e se enrolou nas cobertas imensamente quentes sentindo o mundo desabar, as lágrimas escorreram nas suas bochechas avermelhadas como um afluente de sua alma despedaçada. Dormiu no meio dos seus soluços desesperados desejando que tudo acabasse ali, cansara de pedir ajuda, cansara de pedir que o Alguém tivesse compaixão. Ela desistiu enquanto chorava naquela noite fria.
Sentindo o vento no seu rosto cheio de olheiras por conta das lágrimas, a jovem contemplou um imenso vale em que se perdia a quantidade de árvores e a distância do Sol poente. Sentiu algo sentar ao seu lado e virou a cabeça para observar. Um enorme Leão deitou ao seu lado, sua juba dourada era enorme com pequenos pigmentos vermelhos nas pontas, suas patas eram tão enormes que poderiam corta-la em um simples gesto mas algo naquele Leão não dava-lhe medo.
- Por que está tão aflita? - ele perguntou - Esto…

2 Coríntios 2.15

Imagem
"Porque para Deus somos o bom perfume de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem." 2 Corintios 2.15A mulher mais velha, com lenço na cabeça para segurar os fios rebeldes do cabelo e com um vestido velhinho para limpar a casa enorme da família, olhava para a roupa da moça de quinze anos curiosa. Algo parecia diferente nas roupas dela, algum cheiro. A senhora levou o blusão da menina até o nariz e sentiu o forte cheiro de algodão fresco na roupa apesar do amaciante ser de flores. Curiosa, cheirou a sua roupa e sentiu o cheiro de morte dentro dela. Voltou sua atenção ao blusão sentindo o coração bater familiarmente. - Bom dia Rosa- a jovem sorriu chegando na casa depois da aula- Minha roupa secou de ontem pra hoje? - Ah sim senhora. - Não me chama de senhora- a menina disse largando a mochila no hall de entrada decorado com madeira de carvalho, colocou o tênis no lugar e pegou a pantufa que estava logo ao seu lado- Sabe que não gosto.
A jovenzinha andou até a cozinha passando p…

I

Imagem
"Cantarei teu amor pra sempre... cantarei teu amor pra sempre..."

As árvores balançavam com graça e beleza, tinham o laranja como coloração principal em quase todas as folhas. Suas folhas eram de todos os tipos; redondas, pontiagudas, cortadas, furadas; os troncos lhe eram escudo negro de madeira que pareciam se curvar ao vento que sobrava leve perante o sol daquele fim de tarde. A colina era grande e coberta dessas árvores cheias de graça, com sua grama verde era palco de uma porção de cadeiras estava abaixo dela viradas para o sol que ia se pondo aos poucos, um pequeno palco também estava pronto com alguns adolescentes cheios de alegria e sentimento. Os jovens tomaram as cadeiras com a mesma pressa que o sol desaparecia do céu e tomava seu posto do outro lado do mundo para um novo dia, eles balançavam o corpo junto as árvores com cuidado para respeitar o ritmo da música e cantavam com alegria toda nova canção. Os adolescentes que cantavam no palco tinham estilos diferent…