Temporada de Poemas


Bem, eu estava pensando no que colocar aqui sempre que der. E resolvi colocar alguns poemas que eu escrevo para reflexão geral e por divertimento. 

Peço que reflitam sobre o que o homem está fazendo com o oxigênio e como ele está destruindo o mundo com tanta poluição. 
Espero que gostem...


Temporada de Poemas



"Vento 
Tiffany Guimarães Muller

Violento, Amante e Suave.

Venho aqui me machucando há tempos,
Chuvas ácidas percorrem o meu corpo todo e machucam minhas palavras,
Posso ser só a brisa, mas ainda consigo ser a salvação de muitos.

As vezes me canso de tão maltratada ser,
Me canso e minha raiva sobe,
Nestes dias fico violenta e comigo trago relâmpagos e enchentes.
Continuo a pedir desculpas, mas não entendo o porquê de tanta raiva. 

Na Primavera muitos casais afortunados pedem minha ajuda, 
Vejo muitos amassos e beijos calorosos. 
Venho devagar e amante de tudo e de todos.
Percebo que uno até dois rios inteiros. 

Em noites frescas e limpas eu me vejo feliz,
Me vejo passando suave entre os cabelos de uma poetisa pequenina, 
Uma jovem amiga,
Um sorriso doce e um abraço lhe dou. 
Como ela me agrada e escreve de mim. 
Em noites Assim me vejo suave e Suave durmo esperando o pior acontecer.

Nos dias seguintes vejo muita poluição percorrer meu corpo e percebo que daí vem toda a minha raiva e ódio.
Porque seres humanos veem tanto privilégio em me machucar? 
Será que só de bem existirá aquela pequena e doce poetisa que encontro todas as noites? 

Não sei. Mas sei que continuarei assim
E passarei mensagens assim para muitos amigos meus,
Para os outros poetas e para outros seres maléficos. 
Para animais herbívoros, para pássaros e para caçadores. 
Mas o que eu quero em troca é apenas o amor e o respeito de tudo e de todos. 
Mesmo que tenho que derramar meu sangue e minha ira em todo lugar.
Tenho que salvar a minha descendência, assim deve escrever a poetisa pequena. 
Com palavras de vento, doces e sutis. 
Ouvindo as músicas que faço a partir de rochas e rodopios.

Assim deve ser a vida em todos os cantos, 
Doce,  bonita e má.  
E então dela vemos tudo, 
O mar e o Sol. 
Todo o amor que podemos ter.

Tudo isso será concebido das mãos de contos daquela pequena poetisa.
Tudo virá dela.


                               Brasil, 2016"



Tiffany

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor do Pai

Universos que criamos.

You don't have try