Stop Crying You Heart Out



O garoto sentou-se no banco da lanchonete colocando seus fones de ouvido, permitiu-se tocar uma música triste que combinasse com sua vida.
Apenas continuou a pensar no golpe baixo que aquela mulher fizera com ele, poderia ter terminado tudo normalmente, poderia ter mandado uma mensagem ou algo do tipo.... mas trai-lo? Ele nunca esperou aquilo.

Deixou que as lembranças lhe viessem a mente naquele momento, permitiu-se sofrer.
Aquele rosto tão angelical com seus cabelos pretos e olhos cor da noite, o seu sorriso branco e sua pele tão pálida que parecia um floco de neve. Aqueles lábios que raramente ficavam avermelhados....
Aquela moça mexia tanto com sua mente, como um manipulador de serpentes ela o manipulava.
O garoto de olhos brilhantes e sonhos maiores que seu coração enfiou a cabeça nas mãos sentindo o coração apertar.

Lembrou-se do primeiro beijo que teve com aquela moça, seu coração parecia arrebentar as tripas e ele não conseguia parar de sorrir enquanto sentia os lábios com gosto de menta que a moça tinha.
O dia em que ele conheceu a família dela também era memorável por causa daquela louca conversa com os pais da jovem sobre como ela era importante.
As saídas ao shopping, as idas ao parque, as sessões de cinema, os abraços e beijos que trocaram.

O garoto sentia seu coração arrebentar a represa que tinha formado em seu corpo, sentiu as lágrimas virem ao rosto e mesmo estando em local público deixou-as cair.
Olhou para o celular esperando a batida da guitarra do Oasis parar, não parou...

Ela era uma moça manipuladora, que machucava seu coração. Nunca gostou dele, o fez de bobo... Será?
A jovem dos olhos cor da noite, cabelos pretos e sorriso branco era mesquinha, uma jovem que não gostava da natureza da vida. Uma jovem consumista louca por moda, alguém oposto a ele.
Nunca daria certo...
Por que então ele foi idiota a ponto de se apegar?

Aquele sentimento era destrutivo, era degenerativo ao seu coração. Ele era besta.
Como pôde ser tão idiota?
As lágrimas caíram contra seu celular.

"Tudo bem senhor? Deseja algo?"
Ele levantou o olhar e viu uma garçonete com uma blusa listrada preta e branca e uma calça bailarina preta em sua frente, ela sorria e parecia entendê-lo.
O seu coração pedia para ser dito um "não" bem claro, mas sua razão era maior "ela não tem culpa."
Ele tentou sorrir, falhou nesse ato.

" Tudo sim. Eu gostaria de um café preto bem forte"
" Algo mais senhor?"

Uma faca cairia bem.... pensou consigo mesmo, em seguida repreendeu-se por pedir uma coisa daquelas. Quem ele era para cortar-se?

"Não obrigado."

O garoto dos olhos brilhantes perdeu o brilho e deixou-se cair num poço de escuridão, era bom o suficiente para saber sair dali depois mas precisava da escuridão para esquecer aquele rosto pálido.
Precisava que seu coração parecesse de chorar.

Mas ao mesmo som de Oasis, o seu coração apertava-se mais ainda e ele sentia seus olhos fecharem-se com medo, sentia suas glândulas produzirem o choro.
Ao som da guitarra infinita de Oasis, o garoto dos sonhos maiores que seu coração sentia que as estrelas nunca mais brilhariam, que nunca mais encontraria seu caminho...

E que nunca conseguiria fazer seu coração parar de chorar.

Tiffany

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Amor do Pai

Universos que criamos.

You don't have try